Neste momento de crise, a moeda de troca das empresas, seja qual for o tamanho e a atividade, é a negociação. O recado é de Marcia Santos, mestre em contabilidade, finanças e atuariais da PUC-SP e coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Trevisan Escola de Negócios. O conselho da Marcia serve também para as pessoas físicas, que estão renegociando com as operadoras seus pacotes de telefonia, internet e TV.

Reduzir as taxas e tarifas hoje passou a ser uma espécie de hobby praticado pelas pessoas confinadas pela quarentena. Muita gente estava pagando mais caro pelo seu pacote de celular do que os planos oferecidos atualmente pelas empresas e só percebeu isso agora, quando começou a revisar os seus gastos. A mesma coisa se aplica ao cartão de crédito. Clientes que têm direito à isenção acabam pagando anuidade porque não acompanham os seus extratos.

“Isto também acontece com as empresas”, diz Marcia Santos. “Micro e pequenos empresários abrem a sua conta em um banco e não se preocupam com as tarifas. Quando o tempo vai passando, começam a pagar por serviços que nem estão utilizando”, afirma a professora. “Os pequenos empresários têm que aprender a reduzir ao máximo possível tanto os seus custos fixos quanto variáveis. Trabalhar com menos contas bancárias é uma boa maneira de conseguir tarifas mais baixas”, diz.

Reduzir custos neste momento é uma questão de sobrevivência e requer um minucioso trabalho de investigação. A palavra de ordem para os empresários, neste momento, é revisitar o seu orçamento, ensina a professora da Trevisan.

Também as taxas de juros de empréstimos já contratados ou a contratar podem ser negociadas. E as empresas que têm uma contabilidade organizada e documentação fiscal em dia costumam ser beneficiadas pelos bancos e fintechs.

No C6 Bank, os MEI (Microempreendedores individuais) contam com um pacote de benefícios. A conta MEI é completa e não tem tarifa de manutenção. O cartão de crédito também é isento de anuidade.

Na comparação das tarifas bancárias dos três grandes bancos, o cliente MEI do C6 Bank economiza R$ 1.988,00 por ano ao utilizar a sua conta. Como o teto de faturamento do MEI é de R$ 81 mil por ano, se ele tiver uma margem de lucro mensal de R$ 2 mil, o benefício de isenção de tarifas equivale ao lucro de um mês. Ver detalhes na tabela abaixo.

O C6 Bank também está ajudando pequenos empreendedores a enfrentar a pandemia, oferecendo isenção da taxa das maquininhas C6 Pay nas operações de crédito à vista. Clientes atuais e novos, que fizerem a adesão aos equipamentos da marca até 31 de julho terão a isenção da taxa – que costuma ser em média 3,29% por operação.

O benefício está limitado a R$ 5 mil em vendas totais no mês e não vale para compras parceladas no crédito. Empreendedores que já têm a maquininha C6 Pay também podem acessar o aplicativo do banco e pedir o benefício.

O banco anunciou ainda novos modelos de maquininha, que podem ser contratadas pelo chat no aplicativo do C6 Bank, no site de venda online ou com as equipes parceiras de vendas.

Conheça os modelos de maquininhas C6Pay e escolha a que melhor atende o seu negócio: https://www.c6bank.com.br/c6pay

Este conteúdo é de propriedade do C6 Pay, e foi produzido pela agência Fato Relevante para o SixM Labs.