O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, ecoou nesta quinta-feira as falas do ministro Paulo Guedes de que o Brasil pode encerrar o ano com o fechamento zero de vagas formais de trabalho. “A economia está em franca retomada, o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e os empregos estão voltando em V, mais até do que a nossa expectativa. O mês de dezembro é um mês historicamente negativo, mas temos a influência do benefício emergencial”, avaliou.

Após a abertura recorde de vagas formais em outubro, Guedes disse mais cedo que o País pode terminar o ano com perda zero de empregos com carteira assinada.

Até outubro, o saldo é negativo em 171.139. Guedes não deu projeções para os próximos meses para explicar a estimativa de saldo zero. Historicamente, dezembro registra fechamento de vagas.

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, acrescentou que o governo não espera um comportamento do Caged em 2020 igual ao de outros anos.

Segundo ele, se normalmente os meses de dezembro têm fechamento de cerca de 300 mil vagas, este ano o comportamento pode ser diferente. “A resposta do mercado agora e da geração de empregos tem questões sazonais, mas está respondendo a uma retomada econômica e a uma demanda deprimida de alguns setores nos piores meses da pandemia. Isso nos leva a antecipar uma continuidade na criação de empregos até o fim do ano”, afirmou, lembrando que a pasta não faz projeções para o Caged.

Dalcolmo disse acreditar que o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (Bem) continuará mantendo empregos além de dezembro porque os trabalhadores têm ainda um período de estabilidade. “É de se esperar que empregos de acordos do benefício emergencial sejam mantidos”, completou.

Depois de ser atingido fortemente nos primeiros meses da pandemia de coronavírus, o mercado de trabalho formal brasileiro registrou em outubro a abertura de 394.989 vagas, um recorde histórico. Foi o quarto mês consecutivo de resultado positivo, de acordo com os dados do Caged divulgados nesta quinta pelo Ministério da Economia.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).