O diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, afirmou nesta quarta-feira que a inércia dos preços de serviços pode ter aumentado devido às características da crise provocada pela covid-19. Ele mencionou que os preços de serviços ainda estão baixos, mas subindo. “Talvez, dessa vez, serviços vão reabrir com aumentos maiores de preços. Vai ser uma inflação mais generalizada que vai impactar serviços. Projeções do mercado e do BC para inflação em 2022 aumentaram um pouco. Inflação de serviços pode ser maior do que a prevista pelos modelos anteriores”, disse, completando que isso justifica uma política monetária mais apertada.

Por outro lado, Kanczuk afirmou que a inércia de bens industriais continua sendo muito baixa e que esses preços estão mais relacionados à expectativa de outros choques na cadeia global.

Da mesma forma, disse que não vê motivos para a inércia maior de alimentos.

Peso dos combustíveis

O diretor de Política Econômica do Banco Central afirmou também que o peso dos combustíveis no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) aumentou, elevando, assim, o repasse cambial sobre a inflação brasileira. “A apreciação ou depreciação do câmbio terá mais impacto na inflação do que tinha 1 ano atrás”, disse.

Kanczuk também destacou que a inflação importada de combustíveis foi maior do que a causada pelo auxílio emergencial. “Transferências emergenciais criaram inflação, mas não em grande montante. A maior parte da inflação que tivemos não esteve relacionada com estímulos.”

Mercado de câmbio

O diretor do BC ainda destacou que “nada aconteceu” após o anúncio de intervenções no mercado de câmbio relacionadas ao overhedge. Kanczuk também mencionou que o BC considera que a potência da política monetária aumentou, tanto nos ciclos de alta de juros quanto de baixa.

Ele ainda citou que, em 2020, quando o forward guidance foi anunciado, as expectativas de inflação estavam caminhando para aquém do piso da meta.

O diretor do BC participa de evento do HSBC.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).