Os contratos futuros de petróleo fecharam com ganhos nesta terça-feira, 15, com recuperação depois de perdas recentes e ganho de fôlego na reta final da sessão, em meio ao noticiário sobre a passagem do furacão Sally pelo Golfo do México, região importante para a produção do óleo. O movimento ocorreu depois da publicação de indicadores positivos da China e com um furacão no radar, mesmo após relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), com previsão de queda na demanda global neste ano.

O contrato do WT para outubro terminou em alta de 2,74%, a US$ 38,28 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro subiu 2,32%, a US$ 40,53 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

A commodity chegou a operar em queda no início do dia, mas ganhou fôlego. Na China, a produção industrial avançou 5,6% em agosto, na comparação anual, acima da previsão de alta de 5,2% dos analistas, e as vendas no varejo também cresceram na mesma comparação. Na Alemanha, o índice ZEW de expectativas econômicas surpreendeu e subiu a 77,4 em setembro.

No noticiário do setor, foi informado que o furacão Sally já paralisou mais de 20% da produção de petróleo na região do Golfo do México. Por outro lado, a AIE ampliou sua previsão para queda na demanda pelo óleo em 2020, a 8,4 milhões de barris por dia.

A Sucden Financial comentou em relatório que sinais positivos recentes das economias da China e dos EUA apoiavam os contratos nesta terça. O NatWest, por sua vez, notou que o ambiente em geral de maior apetite por risco sustentava os preços.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.