O ouro fechou em queda nesta quarta-feira, 15, devolvendo parte dos ganhos recentes e respondendo ao avanço dos juros dos Treasuries ao longo da sessão. O movimento vem após o metal retomar ontem a marca de US$ 1,8 mil em Nova York, diante de uma leitura mais fraca que o esperado do índice de inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos em agosto.

O ouro com entrega prevista para dezembro encerrou o dia com baixas de 0,68%, a US$ 1.794,80, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Apesar de começarem a sessão em baixa, os juros dos Treasuries se fortaleceram nos Estados Unidos à medida que investidores migraram da renda fixa para a renda variável, e também respondendo à divulgação do índice de atividade industrial Empire State, que subiu inesperadamente a 34,3 em setembro. A alta nos retornos tende a desfavorecer o ouro, já que ambos concorrem como reserva de segurança de operadores.

O recuo nos contratos da commodity vem também após duas sessões seguidas de alta, que fizeram o ouro retomar o patamar de US$ 1,8 mil, não sustentado hoje.

Analista chefe para mercados da AvaTrade, Naeem Aslam afirma que o próximo grande driver para o metal precioso será a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed) na semana que vem. Até lá, diz, é “provável que os contratos sigam em um movimento de vai e vem”.

*Com informações de Dow Jones Newswires

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).