O ouro fechou em alta moderada nesta quinta-feira, 22, reagindo à queda nos juros longos dos Treasuries, que se enfraqueceram no decorrer da sessão. Investidores também observaram a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que apontou para mais acomodação na zona do euro.

O ouro com entrega prevista para setembro avançou 0,12%, a US$ 1.804,40 por onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Voláteis durante parte do dia, os retornos dos títulos de maior prazo dos Treasuries se firmaram em queda com a busca de investidores por ativos seguros, após a alta nos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos na semana passada, além da queda no índice de atividade nacional do país em julho ante junho. Com o recuo dos rendimentos dos títulos públicos americanos, o ouro ficou mais atraente, uma vez que ambos competem como reserva de segurança.

A perspectiva de mais apoio monetário na zona do euro, devido ao posicionamento “dovish” do BCE em comunicado hoje, também é positivo para o metal precioso, afirma o Commerzbank, em relatório a clientes. O banco alemão diz que o balanço patrimonial da entidade está em patamar alto e deve seguir avançando, e a “a impressão desenfreada de dinheiro aponta para um preço mais alto do ouro”.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).