Os democratas da Câmara dos Representantes dos EUA divulgaram nesta quarta-feira um relatório revelando detalhes de como uma combinação de erros de design cometidos pela Boeing, falhas de inspeção do governo americano e falta de transparência da empresa pavimentou o caminho para dois acidentes fatais envolvendo aviões do modelo 737 MAX.

Às 10h15 (de Brasília), a ação da Boeing caía 1% nos negócios do pré-mercado em Nova York.

O documento de 238 páginas, elaborado pela Comissão de Transportes da Câmara, questiona se a Boeing e o órgão regulador de aviação dos EUA, a Federal Aviation Administration (FAA), já incorporaram plenamente as lições básicas de segurança, embora a frota global do MAX esteja impedida de voar desde março de 2019.

Após uma investigação de 18 meses, o relatório conclui que as dificuldades da Boeing foram parcialmente geradas por sua relutância em admitir erros e “aponta uma cultura empresarial que precisa seriamente passar por uma reconfiguração de segurança”.

O documento também questiona se mudanças a ser implementadas na FAA serão suficientes para acabar com “inspeções fundamentalmente inadequadas do governo” no que diz respeito ao design de novos modelos de avião.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.