O dólar se fortaleceu ante outras moedas principais nesta quarta-feira, 13. A divisa americana já subia mais cedo, mas ganhou fôlego em meio a mínimas do euro, diante de uma crise política na Itália.

No fim da tarde em Nova York, o dólar avançava a 103,90 ienes, o euro caía a US$ 1,2155 e a libra tinha baixa a US$ 1,3631. O índice DXY, que mede o dólar ante uma cesta de divisas fortes, avançou 0,29%, a 90,355 pontos.

O euro já estava pressionado mais cedo, após a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, descartar a retirada prematura de estímulos da economia da zona do euro. À tarde, houve mínimas da moeda comum, após a renúncia de ministros na Itália, que vive uma crise política.

Sobre o dólar, a Western Union comentou em relatório que o fato de que o juro da T-note de 10 anos tenha avançado recentemente para além da marca de 1% apoia a divisa. Por outro lado, também apontou que a postura do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de não apertar a política monetária no futuro próximo coloca um teto nesse movimento.

Hoje, o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, afirmou que os juros devem seguir baixo “por algum tempo” nos EUA. Diretora do Fed, Lael Brainard comentou em outro evento que o nível atual da compra de ativos também deve seguir “por algum tempo”, no quadro atual.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).