O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse nesta segunda-feira, 15, que sua saída do governo federal, marcada para agosto, não deve preocupar os investidores. Em entrevista à CNN Brasil, Mansueto voltou a afirmar que a política de ajuste fiscal do governo vai continuar.

“O ajuste fiscal depende da postura e da boa vontade do governo de continuar esse ajuste. Enquanto Guedes for ministro da economia, sei que esse compromisso vai continuar”, disse Mansueto.

Ele lembrou, ainda, que o cumprimento do teto dos gastos é uma obrigação constitucional.

E o ministro Paulo Guedes? Mansueto negou nesta segunda-feira, 15, a possibilidade de o ministro da Economia, Paulo Guedes, também deixar o governo. “Não tem essa possibilidade não. O ministro Guedes tem valores claros e convicção do que precisa ser feito”, afirmou, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Segundo Mansueto, Guedes segue muito animado com a perspectiva de crescimento do país na retomada após a crise atual. “A cada batalha, parece que ele renova o espírito de luta. O ministro acredita que o Brasil pode decolar. A cada dia que acham que Guedes está cansado ele volta com novas ideias e muita empolgação para mudar o país, lutando por reformas no governo”, acrescentou.

Qual a saída? Mansueto defendeu que o desafio da política econômica na saída da pandemia de covid-19 é aprovar as reformas estruturais no País, para aumentar o potencial de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e dar aos investidores uma perspectiva de redução da relação entre dívida pública e PIB.

Questionado sobre a possível privatização do Banco do Brasil, ele lembrou que a instituição não está na lista de estatais a serem vendidas pelo governo, embora o presidente do banco, Rubem Novaes, defenda essa ideia. “O BB não está na lista de privatização, mas o banco precisa se reinventar. Se houver esse consenso no futuro, não vejo problema em se privatizar o BB. Se o banco é público ou privado não me interessa, o importante é termos juros baixos em um ambiente competitivo”, completou.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).