A JHSF Participações, dona do shopping Cidades Jardim e dos restaurantes Fasano, registrou lucro líquido de R$ 321,4 milhões no segundo trimestre deste ano, o que representa alta de 26,4% ante o resultado do mesmo período do ano passado.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 422,4 milhões, avanço anual de 22%. Ao mesmo tempo, o Ebitda ajustado foi de R$ 444,4 milhões, alta de 158,8%. Por outro lado, a margem ajustada caiu 0,97 ponto porcentual, para 67,1%. O Ebitda ajustado desconsidera despesas e receitas não recorrentes ou sem efeito no caixa.

A empresa atingiu receita líquida de R$ 662,4 milhões, crescimento de 162,5%. Entre as divisões da empresa, Incorporação e o Aeroporto apresentaram altas respectivas de 139% e 85,9% na receita líquida. Os braços de Hospitalidade e Gastronomia, Shoppings e Varejo (com digital) tiveram ganhos significativos de 728,3%, 378,6% e 766,6%, respectivamente, no indicador.

A companhia registrou despesas operacionais de R$ 73,7 milhões, avanço de 329%. O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 66,1 milhões, 283,5% a mais.

Segmentos

Segundo a JHSF, o trimestre foi marcado pelo ritmo comercial aquecido na Incorporação e pela retomada gradual das operações de Shoppings e Hospitalidade e Gastronomia.

De acordo com o balanço, o ritmo comercial do segmento de incorporação se manteve aquecido, com alta demanda pelos produtos. “Diante disso, no Complexo Boa Vista antecipamos o lançamento de uma nova fase no projeto do Boa Vista Village e tivemos o pré-lançamento do Boa Vista Estates, terceiro projeto do Complexo”, aponta a empresa. As vendas contratadas apresentaram crescimento de 66% em comparação com o mesmo período do ano passado.

A partir de abril, os shoppings retomaram suas operações, seguindo protocolos de segurança e higiene ainda com restrições de horário e capacidade, com exceção do
Shopping Ponta Negra, que retomou suas atividades no final de fevereiro. O desempenho desse segmento foi impulsionado pela performance dos Shoppings voltados para o público de alta renda.

“Com a flexibilização de algumas restrições e com o avanço do programa de vacinação, houve uma forte recuperação no fluxo dos shoppings, principalmente nos ativos de São Paulo, proporcionando uma performance superior ao segundo trimestre de 2019, quando não havia restrições. Algumas atividades que haviam sido suspensas foram liberadas, como as salas de cinemas”, aponta a JHSF.

Em Hospitalidade e Gastronomia, houve melhora da receita com a flexibilização das medidas restritivas de operação das atividades. Todos os hotéis estavam abertos no 2T21 e as operações de gastronomia retomaram suas atividades em São Paulo a partir de meados de abril, contudo, ainda com limitações de capacidade e horário de funcionamento.

O Aeroporto Executivo Internacional registrou aumento de receita no trimestre devido ao crescimento da operação aeroportuária em relação ao mesmo intervalo de 2020, com 205,7% mais movimentos (pousos e decolagens) e 210,1% de aumento no volume de litros abastecidos versus os meses de abril a junho do ano passado, respectivamente.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).