Desde fevereiro de 2020, a companhia de tecnologia Locaweb já fez dez aquisições de startups. Para isso, analisou mais de 1.900 empresas com soluções variadas, diz o presidente do grupo, Fernando Cirne. Segundo ele, o objetivo é “enriquecer o ecossistema de e-commerce, entrar em novos mercados e fazer a consolidação do segmento”.

Mas, depois de avaliar tantos negócios, ele afirma que comprar uma empresa não é trivial. “Há muita startup boa, mas também há muitas sem gabarito”, diz. Além disso, as compras seguem critérios: as startups precisam ter um produto maduro, receitas e os fundadores têm de continuar na empresa. “Não queremos só empilhar receitas. Compramos startups que se encaixam no nosso ecossistema e que podem ser aceleradas no grupo.” Cirne destaca que a companhia tem procurado conciliar trabalhos internos com aquisições. “Se é algo que o mercado ainda não tem, há tempo para podermos desenvolver. Mas se já existe, vamos comprar e incorporar.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).