O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Bruno Funchal, disse nesta quinta-feira, 22, que a projeção atual da equipe econômica para zerar o déficit primário passou de 2025/2026 para 2023/2024.

“Com o controle de despesas, a novas projeções de receitas e de crescimento do PIB, a projeção foi antecipada para algum momento entre 2023 e 2024”, respondeu.

Funchal confirmou que o governo deverá enviar um PLN ao Congresso após o recesso parlamentar para liberar os R$ 2,807 bilhões de folga adicional para o teto de gastos neste ano. “No PLN vai estar descrita a distribuição desses recursos para os ministérios e órgãos”, completou.

Segundo o secretário do Tesouro, o total de gastos com créditos extraordinários – fora do teto – já programados em 2021 é de R$ 124,9 bilhões. “Não devemos ter muito mais do que isso, talvez alguma coisa para a Saúde, podendo chegar a R$ 130 bilhões”, detalhou.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).