O presidente da França, Emmanuel Macron, defendeu que outros países mantenham diálogo com a Rússia, mas também apoiou sanções contra o país em caso de “comportamento inaceitável”, citando como exemplo a invasão russa à Ucrânia, foco de renovadas tensões e retaliações recentes entre Washington e Moscou.

A declaração foi dada durante entrevista à CBS, em trecho veiculado neste domingo no site da emissora americana. Macron argumentou que os contatos com Moscou são importantes para melhorar, por exemplo, o sistema global em termos de controle de armas. “Precisamos de um diálogo aberto e franco” com o país, afirmou.

Por outro lado, também defendeu as sanções, quando necessárias. “Temos de ter limites claros com a Rússia”, disse ele. “As sanções são parte do pacote” para lidar com os russos, considerou.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).