O impacto do lockdown durante o mês de abril sobre o pequeno varejo se traduziu em uma retração de 3,5% no faturamento. É o que mostra o indicador Gyra Trends da plataforma de soluções de crédito para micro e pequenas empresas Gyra+. A comparação é sempre considerando a média móvel de 12 meses do faturamento.

“O pequeno varejo sentiu o impacto do lockdown durante o mês de abril com forte retração nos resultados”, avalia o CEO da Gyra+, Roberto Cabernite. A queda do faturamento em abril não é inédita. Em março o Gyra Trends já havia registrado uma retração de 2,5%.

O segmento de serviços, que mais vinha sofrendo com as restrições sociais por conta da pandemia, registrou no mês passado uma leve recuperação de 1%, depois de transitar pelo terreno negativo em março.

“No geral observamos uma retração nas vendas online das pequenas empresas”, disse o executivo da Gyra+ ao se referir às quedas de 3,2% das vendas das lojas online e das lojas online e física, em 3,1%. Isso, de acordo com a Gyra+, tem a ver também com a entrada de grandes redes e marca nos canais digitais, que exerceu pressão sobre as pequenas empresas de ecommerce.

Carbenite também destaca o efeito de uma leve desaceleração no volume de crédito solicitado pelas micros e pequenas empresas junto à plataforma Gyra+ durante o mês de abril comparado com março.

Quando se avalia os segmentos, os destaques de altas foram os Produtos Alimentícios e Bebidas, com avanço de 6,2%; Equipamentos e artigos de uso doméstico, 2%; Equipamentos de TI, games e comunicação, 1,8% e Eletroeletrônicos, 0,1%.

As quedas ficaram por conta dos Produtos Farmacêuticos, Perfumaria e Cosméticos, com recuo de 0,2%; Outros Serviços, 0,2%; Peças e Acessórios para Veículos, 1,1%; Vestimenta, 3,2%, Artigos Médicos, Ópticos e Ortopédicos, 5,4% e Outro Segmento Comércio, com queda de 5,5%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).