O dólar alterna altas e baixas nesta quarta-feira, 13, de fortalecimento da divisa dos EUA no exterior. Na máxima intraday, a moeda superou os R$ 5,35. Analistas assimilam a surpresa da Pesquisa Mensal de Serviços, que apontou uma situação bem melhor do que previa o mercado financeiro. Para André Perfeito, da Necton Investimentos, o resultado confere viés positivo ao PIB de 2020.

O volume de serviços prestados subiu 2,6% em novembro ante outubro de 2020, na série com ajuste sazonal, segundo o IBGE. No mês anterior, o resultado do indicador foi revisto de uma alta de 1,7% para 1,8%. O resultado de novembro ficou acima do teto das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam uma alta entre 0,1% e 2,1%, com mediana positiva de 1,0%.

Na comparação com novembro do ano anterior, houve queda de 4,8% em novembro de 2020, já descontado o efeito da inflação. Nessa comparação, todas previsões eram de queda maior: iam de uma retração de 8,1% a 5,10%, com mediana negativa de 6,4%. Ainda assim, no ano, o setor minguou 8,3%.

No exterior, pesa a crise política nos Estados Unidos. Com apoio maciço dos democratas, o processo de impeachment do presidente Donald Trump deve ser votado nesta quarta-feira. Os índices acionários futuros em NY estão em queda, e a taxa da T-Note de dois anos em alta.

Na Europa, as bolsas operam sem direção única diante da previsão de lockdowns durarem até fim de março, segundo o BCE, e aumento de casos de covid-19. Do lado positivo, informações corporativas sobre a Telefónica e Carrefour sustentam as ações dessas empresas e dão certo alívio aos negócios. Hoje, a presidente do BCE, Christine Lagarde, voltou a falar que não há meta para o câmbio. Há preocupações sobre forte depreciação do dólar ante o euro em 2021.

Há pouco, a Conab informou que a produção brasileira de grãos na safra 2020/21, em fase inicial de colheita, deve registrar recorde de 264,83 milhões de toneladas, aumento de 3,1%, ou 7,9 milhões de t a mais, em comparação com o período anterior 2019/20 (256,94 milhões de t). O levantamento mostra, porém, que a atual projeção é 1,04 milhão de t menor (0,4%) em relação à estimativa anterior, de dezembro.

Às 9h25, o dólar spot subia 0,23% aos R$ 5,3328. O futuro avançava 0,19% aos R$ 5,336. O futuro do Ibovespa caía 0,14%, variação negativa semelhante à dos índices acionários futuros em Nova York.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).