O jornal espanhol El País noticiou neste sábado (23) que chefe do Estado-Maior de Defesa (Jemad), general Miguel Ángel Villarroya, renunciou. Na sexta-feira, 22, soube-se que ele próprio e outros comandantes militares já haviam sido vacinados contra covid-19, apesar de não fazerem parte dos grupos de imunização prioritária.

Segundo o jornal, o chefe da liderança militar enviou uma carta à ministra da Defesa, Margarita Robles, na qual pede sua demissão para não “prejudicar a imagem” das Forças Armadas. Robles aceitou a demissão a seu próprio pedido, segundo fontes ouvidas pelo jornal. Ainda assim, a demissão não se concretiza até terça-feira, 26, ao ser aprovada pelo Conselho de Ministros.

A reportagem diz ainda que esta é a primeira vez, desde a criação do cargo de Chefe do Estado-Maior da Defesa , em 1984, que seu titular é extinto. A situação mais semelhante ocorreu em 1992, quando o então chefe da liderança militar, Gonzalo Rodríguez Martín-Granizo, morreu de derrame durante o mandato.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).