O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a criticar o governo federal, desta vez, pelo “retardamento” no início da vacinação de crianças. O pré-candidato à Presidência da República afirmou que “um governo que retarda a vacina para crianças, por princípios ideológicos, é um governo desumano”.

Doria avaliou que, se a imunização das crianças tivesse começado em dezembro, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu o aval para a iniciativa, todas as crianças do País já estariam vacinadas com ao menos uma dose.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, já havia se colocado contra a imunização dessa faixa etária. Seguindo a linha do presidente, o Ministério da Saúde criou dificuldades para dar o início ao processo.

“Lamentável atitude, e eu lamento como governador, como pai, como cidadão e como brasileiro, as postergações feitas pelo governo federal, através do Ministério da Saúde, estabelecendo retardamento desnecessário ao início desta vacinação”, acrescentou Doria, durante entrevista coletiva no Hospital das Clínicas de São Paulo.

Elogio a Barra Torres

Doria também fez acenos à Anvisa ao elogiar a resposta do chefe da Agência, Antônio Barra Torres, ao presidente Bolsonaro. “Quero fazer um novo registro de cumprimentos à Anvisa”, afirmou.

Citando Barra Torres, o tucano parabenizou o almirante pela “conduta, seriedade e postura” que ele vem adotando “especialmente nos últimos meses”.

No último dia 8, Barra Torres divulgou uma nota para cobrar de Bolsonaro uma retratação pelas insinuações do presidente de que a agência teria “interesses” na aprovação da imunização de crianças.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).