O dólar segue em alta frente o real e acompanha nesta quarta a valorização da moeda no mundo, com euro e libra mais fracos bem como as bolsas internacionais diante das preocupações com o impasse nas negociações sobre o pacote de estímulos fiscais de US$ 1,9 trilhão nos EUA e a espera da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), à tarde, avalia o estrategista Jefferson Laatus, do Grupo Laatus.

No Brasil, segundo ele, o mercado está focado no rumo dos juros e no risco fiscal, com a possibilidade da reedição do auxílio emergencial, após a eleição às presidência da Câmara e Senado, na segunda-feira.

Apesar dos sinais de compromisso com teto de gastos pelo governo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não explica de onde vai tirar recursos para bancar o pagamento do benefício sem fazer corte de gastos, gerando incerteza sobre o cumprimento do teto de despesas federal, comenta.

Além disso, afirma que o dólar ganhou força lá fora, após a divulgação das encomendas de bens duráveis nos EUA, com alta de 0,2% em dezembro ante novembro, abaixo da previsão dos analistas (+0,8%).

Já os dados do setor externo do País foram monitorados, mas sem impacto perceptível na formação de preços, afirma.

Às 11h06, o dólar à vista subia 0,82%, a R$ 5,3707. O dólar para fevereiro ganhava 0,24%, a R$ 5,370.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).