A CPI da Covid abriu na manhã desta quarta-feira, 15, a reunião em que será ouvido Marconny Nunes Ribeiro Albernaz de Faria. A comissão apura se ele teria feito lobby no Ministério da Saúde para favorecer algumas empresas, como a Precisa Medicamentos.

A investigação da CPI começou após o Ministério Público Federal no Pará compartilhar o conteúdo de seu celular, apreendido na Operação Hospedeiro, com os senadores.

A comissão identificou mensagens trocadas por Faria com Jair Renan Bolsonaro, quarto filho do presidente; com as advogadas Ana Cristina Valle, mãe de Jair Renan e segunda ex-mulher de Bolsonaro; a advogada Karina Kufa, que defende o presidente; e com o dono da Precisa, Francisco Maximiano.

As conversas mostram que, em setembro de 2020, o lobista ajudou Jair Renan a montar sua empresa de eventos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).