O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que, ao enterrar o Renda Brasil, o presidente Jair Bolsonaro “reafirmou o conceito de responsabilidade fiscal”. Guedes disse que a reação do presidente foi política e correta, pois, segundo ele, as manchetes de todos os jornais fizeram uma conexão errada entre os estudos sobre desindexação de gastos, dentro do PEC do pacto federativo, e o congelamento de gastos previdenciários por dois anos para financiar o Renda Brasil. “O presidente pode desindexar tudo, menos os mais pobres.”

Guedes afirmou que o presidente deu um sinal de que não vai “anabolizar” o Renda Brasil, sendo irresponsável na parte fiscal, em troca de aumento de popularidade. “O presidente disse: Não vou furar o teto e nem tirar dos mais pobres para anabolizar o Renda Brasil. Não há nenhuma tentativa populista de furar o teto.”

O ministro também argumentou, durante palestra em evento online “Painel Tele Brasil 2020”, que a proposta estudada pela equipe econômica é a desindexação de todas as despesas. “Quando se vê que alguém mais vulnerável será atingido, a decisão política é não prosseguir. Vamos descarimbar o dinheiro. “Naturalmente, a classe política dará reajustes para os mais pobres e vulneráveis. Decisão da classe política, como a do presidente, é que a prevalece.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.