Em um recado sobre o Dia do Trabalhador, comemorado nesta sexta-feira, 1, o presidente Jair Bolsonaro disse que gostaria que a população voltasse a trabalhar, mas emendou que quem decide a questão, no entanto, são os governadores e prefeitos. A declaração foi dada durante uma transmissão ao vivo da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que entrou no Palácio da Alvorada nesta manhã com cerca de 20 pessoas. Segundo ela, são agricultores que foram agradecer Bolsonaro por “todo esforço” em favor do agronegócio.

O que ele disse? “Gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide isso não sou eu, são governadores e prefeitos. Então, um bom dia a todos. O Brasil é um país maravilhoso, eu tenho certeza, com Deus acima de tudo, que brevemente voltaremos à normalidade”, completou Bolsonaro.

Qual o contexto? O presidente trava uma batalha com governadores e prefeitos sobre as medidas de isolamento para conter a disseminação do novo coronavírus. Nesta quinta, 30, o presidente acusou os executivos locais de não “achatarem a curva” de contágio da covid-19. Na mesma noite, o ministro da Saúde, Nelson Teich, mudou completamente o tom sobre os planos de flexibilizar o isolamento e afirmou que o momento é impróprio, dado o avanço crescente de mortes e contaminações em todo o País.

Na live, o presidente voltou a agredir a imprensa, como tem feito reiteradamente. Pediu que ninguém mais chamasse a rede Globo de “lixo”, porque “lixo é reciclável”. “Não quero mais que ninguém chame a Globo de lixo, lixo é reciclável”, disse sobre a emissora, alvo de críticas frequentes de Bolsonaro.

Saúde: Durante sua breve participação – de cerca de um minuto – na live, Bolsonaro tossiu. Nesta quinta, ele afirmou que “talvez” tenha sido contaminado pelo coronavírus no passado. “Eu talvez já tenha pegado esse vírus no passado, talvez, talvez, e nem senti”, disse o presidente, em entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre. A declaração foi dada enquanto Bolsonaro trava uma disputa judicial para não divulgar os resultados de seus exames.

Ele já mostrou os exames? O jornal O Estado de S. Paulo garantiu na Justiça Federal o direito de obter “os laudos de todos os exames” de novo coronavírus feitos pelo presidente.

Em vez de enviar os papéis, no entanto, a Advocacia-Geral da União encaminhou à Justiça um relatório médico de 18 de março no qual atesta que Bolsonaro se encontra “assintomático” e teve resultado negativo para os testes do novo coronavírus realizados no mês passado. Na quinta, a juíza federal Ana Lúcia Petri Betto, responsável pelo caso, não aceitou o relatório e deu mais 48 horas para que os exames sejam entregues.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).