As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, 14, com investidores à espera de novos dados de inflação dos EUA, que podem ser cruciais para o futuro da política monetária norte-americana, e atentos também aos problemas financeiros da Evergrande, gigante do setor imobiliário chinês.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,21%, a 25.502,23 pontos, à medida que a ação da Evergrande sofreu um tombo de 11,87% depois de a incorporadora imobiliária chinesa prever uma significativa queda nas vendas de imóveis em setembro, mês que costuma ser positivo para o setor no país asiático. Na segunda-feira, a Evergrande desmentiu rumores de que estaria prestes a falir.

Na China continental, a questão da Evergrande pesou em papéis de outras imobiliárias. Já as ações de siderúrgicas, que vivenciaram um rali nas últimas semanas, sofreram fortes perdas hoje.

O Xangai Composto teve queda de 1,42%, a 3.662,60 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composite recuou 0,48%, a 2.488,88 pontos.

Em Taiwan, o Taiex registrou baixa marginal de 0,07%, a 17.434,90 pontos.

Já em Tóquio, o Nikkei subiu 0,73%, a 30.670,10 pontos, atingindo o maior patamar desde agosto de 1990, em meio a expectativas de que o próximo primeiro-ministro do Japão adote mais estímulos fiscais e outras medidas para ajudar o país a superar o impacto da pandemia de covid-19. Em Seul, o sul-coreano Kospi avançou 0,67%, a 3.148,83 pontos, sustentado por ações financeiras e de aviação.

Investidores na Ásia também aguardam os últimos números de inflação ao consumidor (CPI) dos EUA, que serão divulgados no meio da manhã desta terça. Os dados terão influência na decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de começar ou não a retirar estímulos monetários ainda este ano, dentro de um processo conhecido como “tapering”.

Oceania

Na Oceania, a bolsa australiana ficou levemente no azul, graças a ações de petrolíferas e de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 0,16% em Sydney, a 7.437,30 pontos.

* Com informações da Dow Jones Newswires

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).