A Azul divulgou nesta sexta-feira, 11, os resultados preliminares de tráfego de maio. O tráfego de passageiros consolidado (RPKs) cresceu 361,9% ante maio de 2020. A capacidade (ASKs), por sua vez, apresentou um salto de 337,8% na mesma base de comparação. Com isso, a taxa de ocupação em relação a abril de 2020 subiu 3,9 pontos, passando a 75,8%. Em maio de 2019 essa taxa era de 84,3%. Ante maio de 2019 foi apurada queda de 34,8% no tráfego e retração de 27,5% na capacidade.

O tráfego de passageiros doméstico cresceu 435,5% em relação a maio de 2020, enquanto a capacidade apontou uma expansão de 406,7%, resultando em uma taxa de ocupação de 78,1%, alta de 4,2 pontos porcentuais comparado com o mesmo período de 2020. Ante 2019, o tráfego registrou queda de 87,9%, com a capacidade registrando declínio de 77,2%, resultando em uma queda de 5,2 pontos na taxa de ocupação (83,3).

Já no segmento internacional, o tráfego de passageiros cresceu 14% no comparativo com o mesmo mês do ano anterior, enquanto a capacidade aumentou 56,9%. Com isso, a taxa de ocupação do segmento ficou em 46,3%, indicando retração de 17,5 pontos porcentuais.

Em nota, a companhia afirma que, em maio, concentrou esforços para gerenciar a capacidade de acordo com a demanda e continuou a ver uma melhoria no tráfego doméstico de passageiros, com o avanço da vacinação contra a covid-19. “O tamanho e a conectividade de nossa malha, combinados com a flexibilidade de nossa frota, fornecem uma capacidade única para capturar ao máximo os benefícios da recuperação da demanda e otimizar a rentabilidade dos nossos voos”, disse John Rodgerson, CEO da companhia.

A Azul também informa que o negócio de logística Azul Cargo teve mais um mês de receita recorde, motivado por uma forte demanda da malha internacional.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).