A Ativa Investimentos acredita em alta de 1,25 ponto porcentual da taxa Selic em setembro, mesmo com a sinalização do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, de que os juros não devem subir em ritmo tão intenso quanto o previsto pelo mercado.

Para o economista-chefe da Ativa, Étore Sanchez, a declaração de Campos Neto visou conter os danos de precificações mais esticadas nos juros curtos. “Mas não podemos ser negligentes com o avanço das expectativas de inflação para 2022. Elas ficaram praticamente insensíveis à austeridade do BC. Não é só mais uma oscilação ou surpresa. São fatores conjuntos que ensejam por uma aceleração na restrição de política monetária”, afirma Sanchez, que projeta Selic a 8,50% no fim do ciclo.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).