O presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou nesta sexta-feira, 15, que seu governo trabalha para fechar um acordo “rápido” com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a fim de ganhar tempo para pagar sua dívida. Durante discurso hoje em evento em Buenos Aires, ele disse que o governo discute com o Fundo “como se paga essa dívida, precisamos que os juros aplicados se reduzam, ganhar tempo e estender ao máximo os prazos de cumprimento dessa dívida”.

Nesta semana, a imprensa local chegou a informar que Fernández havia dito a empresários que o acordo com o FMI ficaria para 2022. Ele, porém, afirmou adiante em sua conta no Twitter que a notícia não era verdade e que buscava acelerar o máximo possível essa negociação. Também nos últimos dias, o ministro da Economia, Martín Guzmán, foi a Washington, para reuniões com o FMI e investidores.

Em seu discurso de hoje, Fernández ainda convocou empresários a “unir esforços e encontrar acordos na construção de uma nova sociedade”. Ele pediu colaboração para evitar mais altas nos preços – o governo busca um acordo com empresas para congelar preços de vários produtos por 90 dias. O país realiza eleição legislativa em 14 de novembro.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).