A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) cobrou explicações da concessionária Linhas de Macapá Transmissora de Energia S.A. (LMTE) sobre o novo apagão no Amapá, que ocorreu na noite desta quinta-feira, 8.

Em nota, a Aneel informou que a LMTE terá “um dia de prazo” para apresentar esclarecimentos sobre a ocorrência, “incluindo análise preliminar da causa e as medidas que estão sendo adotadas para solucionar o problema e evitar reincidências”.

A LMTE é dona da subestação Macapá, que explodiu e causou um apagão de três dias e mais de 20 dias de racionamento no Amapá em novembro.

A concessionária pertence à Gemini Energy, formada pelos fundos de investimento Starboard e Perfin, que detém 85% de participação na linha. Outros 15% são da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), autarquia do governo federal vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

De acordo com a Aneel, a ocorrência levou ao desligamento de trechos da linha Jurupari/Laranjal/Macapá, da subestação Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes, Ferreira Gomes, Cachoeira Caldeirão e Santo Antônio do Jari.

“O atendimento está sendo recomposto. Até as 20h52, cerca de 130 megawatts (MW) haviam sido restabelecidos”, informou a Aneel. O apagão levou ao desligamento de 200 MW.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).