O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou na noite desta quarta-feira, 21, que a votação expressiva para a indicação do desembargador Kassio Marques para cargo no Supremo Tribunal Federal (STF) deve-se “a biografia e história” dele e conversas com os senadores. O nome foi aprovado mais cedo pelo Senado por 57 votos a favor, 10 contra e uma abstenção. Para ser confirmado no cargo, era necessário 41 votos.

“O desembargador já é um magistrado com quase 10 anos. Naturalmente tem todas as condições, como teve para receber a confiança do presidente Jair Bolsonaro em sua indicação, e a confiança do Senado com 57 votos favoráveis”, afirmou. “Tivemos um dia muito importante para essa Casa, que tem assegurada pela Constituição a obrigação de sabatinar o indicado para cargo de ministro do STF.”

Logo após deixar o plenário da Casa, Alcolumbre afirmou que as visitas aos gabinetes de parlamentares, conversas de apresentação e jantares também “credenciaram” Marques para ter apoio do plenário nesta quarta-feira, 21.

Chico Rodrigues

Questionado sobre quando assinará a autorização para que o suplente assuma o lugar do senador licenciado Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca, Alcolumbre afirmou que não está pensando no assunto agora. A vaga pode ser ocupada pelo próprio filho do parlamentar, Pedro Arthur Rodrigues, que tem 30 dias para decidir se quer assumir o posto.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).